Tecnologia Led

O Diodo Emissor de Luz (do inglês Light Emitting Diode) LED existe há mais de 100 anos. O inglês Henry Joseph Round descobriu o efeito da eletroluminescência de alguns materiais inorgânicos quando submetidos à uma corrente elétrica. Durante a maior parte desse período, a principal aplicação do LED foi como luz de indicação em equipamentos eletrônicos.

Em 1995, o primeiro LED com a emissão de luz na cor branca é apresentado ao mercado, no entanto, apenas em 2006 ele teria um desenvolvimento tecnológico suficiente a ponto de permitir sua utilização como artigo para iluminação de ambientes.

Hoje, a grande maioria dos Led de mercado, possui uma eficiência luminosa em torno de 100 lúmens por watt. Eficiência esta, que só é superada pelas lâmpadas de descarga de gás. Já existem leds produzidos em laboratório com rendimento acima dos 250 lúmens por watt.

 

Veja abaixo, algumas das vantagens do Led

  1. Economiza até 90% em relação às lâmpadas incandescentes.
  2. Longa vida útil, podendo durar até 50.000 horas (22 anos com uma utilização de 6h por dia)
  3. São altamente resistentes. Resistem à vibrações, quedas e impactos por ser uma luz sólida.
  4. Possui cores mais vivas e puras
  5. Extremamente Seguras pois não queimam quando são tocadas, e o calor emitido pela luz é praticamente nulo
  6. São instantâneas. Possuem sua luz a 100% instantaneamente quando ligadas.
  7. São ecologicamente sustentáveis. São isentas de mercúrio, não emitem raios UV e são recicláveis.

 

Temperatura de cor

A Temperatura de Cor expressa a aparência de cor da luz emitida pela fonte de luz. Essa definição está baseada na relação entre a temperatura de um material hipotético e padronizado, conhecido como “corpo negro radiador”, e a distribuição de energia da luz emitida à medida que a temperatura do corpo negro é elevada a partir do zero A unidade de medida da temperatura de cor é o Kelvin (K). Quanto mais alta a temperatura de cor, mais clara é a tonalidade de cor da luz. Quando falamos em luz quente ou fria, não estamos nos referindo ao calor físico da lâmpada, e sim a tonalidade de cor que ela irradia ao ambiente. Luz com tonalidade de cor maissuave torna-se mais aconchegante e relaxante; luz mais clara torna-se mais estimulante.

Kelvin

Abaixo, mostraremos algumas tabelas que trazem informações relevantes sobre a tecnologia LED, mas antes, gostaríamos de acrescentar algumas explicações e definições dos conceitos utilizados:

– Fluxo Luminoso – Lúmen (Símbolo – Lm): É a unidade de medida do fluxo luminoso. Esta é a unidade padrão do Sistema Internacional de Unidades.
– Intensidade Luminosa – Candela (Símbolo – cd): Ela é definida a partir da potência irradiada por uma fonte luminosa em uma determinada direção.
– Iluminância – Lux (Símbolo lx): É a unidade de iluminamento, intensidade de iluminação ou iluminância. Corresponde à incidência perpendicular de 1 lúmen em uma superfície de 1 metro quadrado.

A seguir, a comparação de potências entre as tecnologias de iluminação para a produção da mesma intensidade luminosa.

TabelaLed03

TabelaLed04

TabelaLed05

IP – Índice de Proteção

A classificação IP representa a capacidade de resistência oferecida contra a penetração de sólidos e líquidos.
É sempre expressada por dois números: o primeiro número identifica o grau de proteção contra a entrada de sólidos e o segundo número contra líquidos.
A tabela seguinte descreve cada nível desse índice de forma breve e resumida.

 

TABELA DE GRAU DE PROTEÇÃO (IP)

Trata-se do grau de proteção (IP), apresentado na norma NBR IEC 60529 – “Graus de proteção para invólucros de equipamentos elétricos (códigos IP).

 

TabelaLed07